VITORIA MODA – ANO 10 | ZINSK

A Zinsk levou para a passarela uma coleção que provoca a reflexão do quão tênue e denso é o fio que tece a vida em nosso tempos. Os acontecimentos nos campos social, político, e econômico foram inspiração para desenvolver a coleção primavera/verão 2018. Assim como a vida, cheia de altos e baixos, os tecidos, com muitas tramas e remendos, protagonizaram o desfile.

 

A marca acredita que moda pode sim exercer seu potencial transformador e criar beleza em meio ao caos, em uma trama mais leve e alegra. Com esse pensamento, a marca apresentou um desfile que promoveu a reflexão e destacou as mudanças que passamos ao longo das gerações.

 

A viagem pelo “fio que tece a vida’ será percorrida ao logo de todo o desfile, que terá como destaque a história da matriarca da família: uma mulher de 92 anos, que sempre esteve à frente do seu tempo e que desde meados dos anos 1940 já transitava pelo mundo da costura. Com desenhos precisos, medidas corretas e de forma artesanal, assim como a atual coleção, Arlinda Brezinsk dos Santos desenvolvia peças, sob medida, dos mais variados estilos. Acredita-se, inclusive, que ela tenha participado de um dos períodos mais criativos da história da confecção. Naquele tempo, em que os tecidos era escassos e era preciso buscar materiais alternativos, ela precisou reinventar. Algo que hoje se faz tão necessário, apesar de o cenário ser tão diferente.

 

Todas as peças da coleção são 100% Denim em vários tecidos, pesos e fibras naturais, construídas a partir de passantes, formando uma trama em tear artesanal. Outra técnica utilizada foi o macramê, construído com nós a partir de fios feitos em malha índigo, que ressurgem em uma produção cheia de estio, explorando a trama com criatividade. Shapes máxi, com muito volume, e, ao mesmo tempo, leves com uma cartela de cores em todas as nuances de azul índigo.

 

Deixe uma resposta